Herper Zóster

Herper Zóster

Pode acometer qualquer pessoa que já tenha tido varicela em algum momento da vida. O vírus Varicella-Zoster permanece alojado em gânglios do corpo em estado de dormência, vindo a se manifestar anos depois.

O vírus tem a capacidade de "viajar" pelas vias nervosas, chegando a pele e causando erupções. De uma forma geral a Zóster apresenta-se pela formação de pequenas bolhas conscentradas em uma mesma região do corpo. A dor causada é intensa, uma vez que não atinge apenas a pele, mas também os nervos que foram atingidos.

Alguns dias antes das erupções aparecerem é comum que a pessoa sinta dor localizada, ardor e sensação de cócegas ou formigamento nos nervos afetados, calafrios e distúrbios gastrointestinais como dor de estômago e diarréia, que podem persitir  durante o período das lesões.

Existem tipos diferentes de Herpes Zóster, como o intercostal que atinge a região das costas, a oftálmica na região dos olhos e que deve ser tratada com urgência, auricular nas orelhas, e a generalizada que tem maior frequênicia em pacientes imunodeprimidos como aidéticos ou que passaram por transplantes e estão com o sistema imune enfraquecido, neste último caso de pacientes imonodeprimidos, com imunodeficiência primária ou adquirida que façam uso de terapeuticos em posologias consideradas imunosupressoras, a aplicação não é recomendada.

A vacina é recomendada mesmo aos que já apresentaram quadro de Herpes Zóster, nesses casos será necessário um intervalo de 6 meses entre o quadro agudo e a aplicação da vacina.

A vacina pode ser aplicada a a partir de 50 anos em uma única dose.