Atletas





Vacinas Esquemas e recomendações Comentários
Tríplice Viral (sarampo, caxumba e rubéola) É considerado protegido o adolescente que tenha recebido duas doses da vacina tríplice viral acima de 1 ano de idade, e com intervalo mínimo de um mês entre elas. Aplicar uma dose para indivíduos que receberam apenas uma dose previamente; aplicar duas doses para os que ainda não receberam nenhuma dose da vacinas ou com antecedentes vacinais desconhecidos, respeitando intervalo mínimo de 30 dias entre as doses. Contraindicada para imunodeprimidos e gestantes. 
Hepatites  A, B ou A e B Hepatite A: duas doses, no esquema 0 - 6 meses. A vacina combinada para as hepatites A e B é uma opção e pode substituir a vacina isolada para as hepatites A e B. Esquema acelerado pode ser recomendado para atletas não previamente imunizados, em situação de viagem considerada  de risco, e sem tempo hábil de receber as doses no esquema padrão.
Hepatite B: três doses, no esquema 0 - 1 - 6 meses.
Hepatite A e B: para menores de 16 anos duas doses aos 0 - 6 meses; a partir de 16 anos três doses com 0 - 1 -6 meses.
HPV Duas vacinas estão disponíveis no Brasil: uma contendo VLPs dos tipos 6, 11, 16 e 18, licenciada para meninas e mulheres de 9 a 45 anos de idade e meninos e homens de 9 a 26 anos, e outras contendo VLPs dos tipos 16 e 18 licenciada apenas para meninas e mulheres a partir dos 9 anos de idade. Três doses: 0-1 a 2-6 meses. O PNI adotou o esquema de duas doses (0 - 6 meses) para meninas de 9 a 13 anos. A vacinação deve ser iniciada o mais precocemente possível, ou seja, a partir de 9 anos de idade. Mulheres e homens mais velhos, mesmo que previamente infectados, podem se beneficiar com a vacinação. Para homens, apenas a vacina quadrivalente está licenciada e, para os maiores de 26 anos seu uso fica a critério de indicação médica. A vacina é contraindicada para gestantes.
Tríplice bacteriana acelular do tipoadulto (dTpa) / difteria, tétano e coqueluche.  Atualizar dTpa independente do intevalo prévio com dT ou TT. Com esquema de vacinação básico para tétano completo: reforço com dTpa a cada dez anos. Com esquema de vacinação básico imcompleto: uma dose de dTpa a qualquer momento e completar a vacinação básica com uma ou duas doses de dT (dupla bacteriana do tipo adulto) de forma a totalizar três doses de vacina contendo o componente tetânico. Para indivíduos que pretendem viajar a países nos quais a poliomelite é endêmica: recomenda-se a vacina dTpa combinada a polio inativada (dTpa-VIP). A dTpa-VIP pode substituir a dTpa. A vacina dTpa está recomendada mesmo para aqueles que tiveram coqueluche, já que a proteção conferida para infecção não é permanente. Uma dose de vacina dTpa é recomendada, mesmo nos indivíduos que receberam a vacina dupla bacteriana do tipo adulto (dT), independentemente do intervalo entre elas. Para adultos e adolescentes que pretendem viajar para países em que a poliomelite é endêmica, deve-se iniciar a vacina dTpa combinada a polio inativada (dTpa-IPV).
Dupla Adulto (dT) / difteria e tétano
Varicela (catapora) Duas doses em intervalo de um a dois meses para os suscetíveis. Contraindicado para gestantes e imunodeprimidos.
Influenza (Gripe) Dose única anual. Desde que disponível, a vacina influenza 4V é preferível à vacina influenza 3V, por conferir maior cobertura das cepas circulantes. Na impossibilidade de uso da vacina 4V, utilizar a vacina 3V.
Febre amarela Uma dose para residentes ou viajantes para áreas de vacinação (de acordo com classificação do MS e da OMS). Se persistir o risco,  recomenda-se uma segunda dose dez anos após a primeira. Pode ser recomendada também para atender as exigências sanitárias de determinadas viagens internacionais. Em ambos os casos vacinar pelo menos dez dias antes da viagem.  Contraindicada para imunodeprimidos, gestantes e mulheres amamentando bebês até 6 meses de vida. Quando os riscos de adquirir a doença superam os riscos potenciais da vacinação, o médico deve avaliar sua utilização.
Dengue Recomedada para indivíduos de 9 a 45 anos. Três doses com intervalo de 6 meses (0 - 6 - 12) meses Contraindicada para Imunodeprimidos, gestantes e mulheres amamentando.
Meningocócica conjugada C e ACWY Para adolescentes não vacinados anteriormente com ACWY: duas doses com intervalo de 5 anos. Para adultos uma dose. Para esse grupo, a indicação da vacina dependerá da situação epidemiológica. Considerar, em situações de risco aumentado, dose de reforço para aqueles vacinados há mais de cinco anos. Se a vacina meningocócica conjugada quadrivalente não estiver disponível, a monovalente para o tipo C  pode ser empregada, lembrando que esse é o tipo mais comum em nosso país na atualidade.
Meningocócica B Para adolescentes e adultos duas doses com intervalo de um mês. Para adultos, a indicação dependerá da situação epidemiológica. Não se conhece ainda a duração da proteção conferida e, consequentemente a necessidade de dose(s) de reforço.
Febre Tifóide Dose única. Dose de reforço pode ser considerada 3 anos após, se mantido o risco. Indicada somente para pessoas que tenham alto risco de adiquirir a infecção.
Raiva Esquema pré-exposição: três doses no esquema 0 - 7 - 21 a 28 dias. Indicada para atletas com o risco de acidentes com animais, inclusive em viagens.
Pneumocócicas Esquema sequencial de VPC 13 e VPP 23 é recomendado para indivíduos com 60 anos ou mais. Iniciar com VPC 13 seguida de VPC 23 6 a 12 meses após e outras 5 anos após a primeira dose de VPP 23. Devem ser recomendadas para indivíduos de qualquer idade, considerando alto risco para a doença penumocócica: cardiopatas e pneumopatas crônicos, diabéticos, asplenicos, imunodeprimidos, entre outros.
Herpes Zóster Dose única. Licenciada para pessoas a partir de 50 anos e altamente recomendada para maiores de 60 anos. Contraindicada para gestantes e imunodeprimidos.